Briefing “Programando o Futuro”

lxeletr-4034

Os alunos de Redação Publicitária conheceram, hoje, a ONG Programando o Futuro. A instituição será o cliente para o trabalho final da disciplina.

briefing foi colhido durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade. A ONG levou ao evento um ônibus preparado para apresentar o projeto social aos visitantes, e os alunos puderam conhecer e ver de perto parte do que é realizado pela equipe do Programando o Futuro.

O material repassado pelo Vilmar Simon Nascimento, coordenador da ONG, está disponível para download neste link.

Ficou decidido que cada grupo abordará um problema diferente, maximizando as oportunidades para a turma contribuir com o projeto social. Os focos de trabalho serão:

  • Institucional: trabalhar material de apresentação do projeto a grandes doadores de lixo eletro-eletrônico (governo, grandes empresas)
  • Educação ambiental – público jovem: educação ambiental para o descarte correto de lixo eletro-eletrônico para pessoas com faixa etária entre 12 e 20 anos
  • Educação ambiental – público adulto: educação ambiental para o descarte correto de lixo eletro-eletrônico para pessoas com faixa etária entre 20 e 40 anos
  • Educação ambiental – melhor idade: educação ambiental para o descarte correto de lixo eletro-eletrônico para pessoas com faixa etária acima de 40 anos
  • Mídias sociais: campanhas de conscientização de educação ambiental para o descarte correto do lixo eletro-eletrônico em mídias sociais, aproveitando eventos sazonais, datas comemorativas (semana do meio ambiente, dia da criança, dias dos pais / mães, natal etc.)

Atenção, grupos! Os temas acima precisam ser pensados, discutidos e entendidos! Quem participou da atividade com o Vilmar hoje percebeu que o projeto é muito grande, merece nossa atenção e precisa da nossa ajuda! Vamos caprichar.

Também combinamos que cada grupo produzirá seu briefing e incluirá como comentário a este post, para que o cliente (Vilmar) possa avaliar e dar algum feedback, se achar necessário. No dia 04/Nov, ele estará presente na nossa aula, na UnB, para ouvir de cada grupo o conceito e as principais ideias das campanhas para que vocês possam corrigir a tempo qualquer aspecto que não esteja alinhado com as necessidades e expectativas da instituição.

No mais, vamos em frente! A causa é justa, o projeto é bom, a prática é interessante e o aprendizado é enorme!

Written by 

Graduado em Comunicação Social pelo Centro Universitário de Brasília (1993), Mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2001) e Especialista em Gestão de Negócios pela Fundação Dom Cabral (2010). Profissional com experiência em instituições de ensino nacionais de grande e pequeno porte, com vivência na Direção Acadêmica e Executiva. Experiência em gestão acadêmica e administrativa nas modalidades Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Superior. Experiência na construção de planos de trabalho e instrumentos jurídicos para a tramitação de processos públicos voltados à execução de projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação. Elaboração e apoio na execução de projetos para órgãos públicos e privados.

3 thoughts on “Briefing “Programando o Futuro””

  1. Cliente: Vilmar Simion Nascimento
    Projeto: ONG – Programando o Futuro
    Grupo: Isabela Borges, João Victor Maciel, Marina Ximenes e Paula Vieira.

    Cenário:
    A ONG tem 16 anos de existência, surgiu com o objetivo de promover a inclusão digital e com a curiosidade do mundo virtual e a ascensão da internet impulsionou os membros a criarem o Telecentro (Centro de Tecnologia Compartilhada) e a Estação de Metarreciclagem – que promove o reaproveitamento dos computadores e doa para a promoção da inclusão digital.
    Alguns fatores foram determinantes para a criação da ONG, a 50 km do Plano Piloto, existem pessoas que não tem acesso à internet, parte dos computadores do governo não funcionam o que gera o problema de lixo eletrônico. Para solucionar esse problema a Programando o Futuro tem um laboratório de lixo eletrônico, que capacita profissionalmente com cinco cursos, cento e vinte pessoas bimestralmente.
    Anualmente:
    Mil computadores são doados para o Brasil.
    Quinhentas toneladas de lixo eletrônico são recicladas.
    Mil alunos são capacitados.
    Cem atividades de educação ambiental são executadas.
    A fonte de renda para manter o projeto vem do lixo eletrônico que é recolhido em pontos determinados da cidade.
    A ONG possui página no facebook e site.
    Entre seus principais parceiros estão:
    Fundação Banco do Brasil, Ministério das Comunicações, Receita Federal, Prefeitura de Valparaíso de Goiás, Caixa Seguros, Presidência da República, entre outros.

    Objetivo:
    Criar mecanismos de divulgação para a conscientização e sensibilização do descarte correto do lixo eletrônico.

    Público Alvo:
    Educação ambiental – público jovem: educação ambiental para o descarte correto de lixo eletroeletrônico para pessoas com faixa etária entre 12 e 20 anos.

    Fator mais importante:
    Existem pessoas por trás do projeto. Sem as pessoas as máquinas não poderiam existir. E o projeto gera impacto direto na vida das pessoas, desde os doadores até os recicladores e o consumidor final do produto reciclado.

    Razões para acreditar:
    A ONG tem um trabalho incrível de conscientização ambiental e de reciclagem. Não usa nenhum recurso público ou privado para a sua manutenção. O recurso utilizado para o financiamento do projeto vem do próprio projeto com a reciclagem do lixo eletrônico.

    Obrigatoriedades:
    Fomentar a importância do descarte correto do lixo eletrônico.

  2. Cliente: Vilmar Simion Nascimento
    Projeto: ONG – Programando o Futuro
    Grupo: Carolina Saboia, Isabella Campedelli, Lucas Damascena e Matheus Bastos

    Cenário:
    A ONG Programando o Futuro há 16 anos trabalha com a Inclusão Digital de pessoas de baixa renda. No começo a ONG trabalhava com os Telecentros, locais tipo LAN House só que de graça para o pessoal aprender a mexer no computador.

    A atual fase do projeto é a Estação de MetaReciclagem, que enfatiza a reutilização de computadores antigos. Para isso, a ONG possui laboratórios de metareciclagem, onde eles oferecem cursos gratuitos de montagem e manutenção de computadores, entre outros cursos. A cada dois meses, 120 pessoas são capacitadas nestes cursos.

    Há um problema muito grande com o lixo eletrônico, porque nem tudo pode ser reaproveitado. Além do DF não ter coleta para lixo específico, os computadores possuem 17 tipos de materiais diferentes em sua composição, e tudo isso é muito difícil de ser tirado para reciclar.

    A capacitação serve para ajudar essa demanda também. São 500 toneladas de lixo reciclado/ano e 1000 computadores reaproveitados doados para todo o Brasil por ano, além de 100 cursos de educação ambiental aplicados anualmente.

    A ONG se enquadra na categoria de Negócio Ambiental, custando R$600.000/ano. A maior fonte de dinheiro para custear os gastos vem da venda do lixo eletrônico que não pode ser reaproveitado para as cooperativas do DF.

    Objetivo:
    Fazer uma campanha que lide com a cultura do desapego, conscientize as pessoas a descartar corretamente o lixo eletrônico, divulgar o projeto e que é possível visitar a ONG, e informar os pontos de coleta de lixo eletrônico.

    Público Alvo:
    Educação ambiental – adultos entre 20 e 40 anos.

    Fator mais importante:
    É preciso conscientizar as pessoas sobre a importância de descartar corretamente o lixo eletrônico e mostrar o admirável trabalho da ONG, para que as pessoas queiram fazer parte deste projeto.

    Razões para acreditar:
    A ONG trabalha com tecnologia, mas não é movida por máquinas. Por trás de todo o equipamento estão as pessoas e é com elas que este projeto se realiza e cresce.

    Obrigatoriedades:
    Destacar a importância social e ambiental do descarte correto do lixo eletrônico.

  3. Cliente: Vilmar Simion Nascimento
    Projeto: ONG – Programando o Futuro
    Grupo: Maria Flores, Igor Rodrigues, Ariele Andréia, Fernando Morais

    CENÁRIO:
    A Programando o futuro é uma ONG que promove a inclusão digital de pessoas que não tem acesso a esse mundo. Com 16 anos de existência, a ONG começou com pequenos Telecentros que eram utilizados para ensinar a essas pessoas como mexer em computadores e, hoje em dia, possui também um projeto chamado “Estação de MetaReciclagem”, que promove a reutilização de computadores antigos.
    O DF possui uma grande demanda de lixo eletrônico, porém não existe coleta para este tipo de lixo. Este problema influencia diretamente no meio ambiente, pois sem coleta especifica e sem informação, a população do DF acaba descartando o lixo eletrônico como qualquer outro.
    A “Estação de Metareciclagem” surge com o objetivo de reaproveitar este lixo eletrônico, reutilizando computadores antigos. Para executar este trabalho, a ONG promove cursos de capacitação para cerca de 120 pessoas a cada dois meses. Estas pessoas irão aprender sobre reciclagem e reutilização do lixo eletrônico, para que elas possam ajudar a diminuir a incidência desse tipo de lixo.

    PRODUTO:
    Estação de Metareciclagem, telecentros.

    OBJETIVOS:
    Promover, nas mídias sociais, uma campanha de conscientização ambiental para o descarte correto do lixo eletrônico. Além disso, a campanha terá como foco o incentivo para que as pessoas se desfaçam do seu lixo eletrônico a fim de ajudar outras.

    PÚBLICO-ALVO:
    O público-alvo da nossa campanha será os jovens, pois são eles os responsáveis por carregar o legado da consciência ambiental para as próximas gerações. Além disso, são a faixa etária com maior presença nas mídias sociais.

    FOCO DA CAMPANHA:
    O foco da campanha é o incentivo ao descarte correto do lixo eletrônico.

    RAZÕES PARA ACREDITAR:
    A ONG Programando o Futuro é uma instituição que trabalha com tecnologia, porém nem tudo são máquinas. Por trás de cada computador reciclado existe uma pessoa que faz aquilo por amor. Além disso, estas pessoas recebem muitas capacitações para exercer essa função.

Deixe uma resposta