Filosóficas Modernas

São teorias que definem a criatividade como parte da natureza humana e em relação ao universo em geral. Não procuram explicar o funcionamento interior do processo criativo. Dão uma visão ampla e situam o fenômeno em um perspectiva filosófica. Principais representantes: Criatividade como Gênio Intuitivo, Criatividade como Força Vital e Criatividade como Força Cósmica.

geniointuitivoCriatividade como Gênio Intuitivo

Aqui, a criatividade aparece como forma saudável e altamente desenvolvida de intuição. No ato da criação, o gênio intui direta e imediatamente o que outras pessoas só podem apurar divagando longamente. A criatividade não pode então ser educada porque é imprevisível, não racional e limitada a algumas poucas pessoas. A idéia do gênio nasceu no fim do Renascimento, quando foi aplicada aos poderes criadores de homens como Leonardo Da Vinci. Durante o século XVIII, muitos pensadores e escritores, em particular Kant em sua “Crítica ao Juízo”, associaram criatividade e gênio. Kant entendeu ser criatividade um processo natural, que criava suas próprias regras. Também sustentou que uma obra de criação obedece a leis próprias, imprevisíveis. E daí concluiu que a criatividade não pode ser ensinada formalmente: apenas analisada e criticada.

forcavital2Criatividade como Força Vital

Uma das consequências da teoria da evolução de Darwin foi a noção de ser a criatividade humana uma manifestação da força criadora inerente à vida. Assim, embora a matéria inanimada não seja criadora, a evolução orgânica o é, fundamentalmente, uma vez que está sempre a gerar novas espécies. Expoente desse pensamento: o biólogo Edmundo Sinnot (“A vida é criativa porque se organiza e regula a si mesma e porque está continuamente originando novidades. Na natureza: transformação da genética e modificações no meio. No homem: capacidade de encontrar ordem e sentido num amontoado de particulares, impor padrões etc.” Assim como um ser vivo cria um sistema organizado, que é seu próprio corpo, a partir do alimento retirado do meio, também de dados desorganizados o homem cria uma uma obra de arte ou a ciência.

forca_cosmicaCriatividade como Força Cósmica

Expressão de uma criatividade universal imanente a tudo que existe. Segundo Alfred North Whitehead, essa criatividade pode ser rítmica ou cíclica: entidades reais que nascem, vivem e morrem. Incessantemente produz novidades: tudo o que existe tem de renovar-se continuamente para poder existir. A fim de manter-se como é, deve substituir continuamente seus próprios componentes. A criatividade produz continuamente entes, experiências e situações sem quaisquer precedentes. É um ininterrupto avanço para o novo. A criatividade não apenas mantém o que já existe, mas também produz formas completamente novas. Tal teoria focaliza a educação da criança: o desenvolvimento da imaginação, o convite à descoberta etc. A criança deve recombinar por seus próprios meios aquilo que aprende.