A cerveja, a mulher e o machismo nosso de cada dia

Nos últimos anos temos ouvido falar cada vez das injustiças resultantes do machismo e da necessidade de se rever como as mulheres são tratadas e retratadas na nossa sociedade. Muito se tem feito, mas ainda há muito a se fazer. Na Publicidade, por exemplo, o machismo ainda circula livremente. Já não é constrangimento nenhum para as mulheres consumir cerveja nos bares, como talvez fosse para nossas mães e avós. E apesar disso, a publicidade do segmento é prioritariamente voltada ao público masculino. O único espaço da mulher nos anúncios é para servir, preferencialmente com pouca roupa e em ângulos estratégicos. É aquela velha questão de objetificar a figura feminina.

Não que a propaganda em 2015 seja mais machista do que antigamente, pelo contrário. Temos bons exemplos dos avanços, ainda pequenos, mas significativos, da representação das mulheres nas mídias. A questão é que com as redes sociais, as mulheres têm achado voz para expressar suas insatisfações, e algumas marcas já começaram a perceber a necessidade de conversar com esse público de forma mais inteligente e igualitária.

O vídeo abaixo é um experimento, ainda não relacionado a nenhuma marca, de um movimento chamado We All Love Beer (Todos nós amamos cerveja). O que acontece quando um casal vai ao bar e a mulher pede cerveja? O vídeo começa com os dizeres “A voz das mulheres tem ficado cada vez mais poderosa ao redor do mundo. Mas elas são ouvidas em um bar? Nós decidimos descobrir.”

Compartilhe:   
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.